ESTRESSE OCUPACIONAL E A TEORIA DA SÍNDROME GERAL DA ADAPTAÇÃO: PERSPECTIVAS DA PSICOLOGIA

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Cíntia Eugênio Silvério
Andreia Maria de Britto Campos
Joaquim Maria Ferreira Antunes Neto

Resumo

O presente estudo tem como objetivo analisar o desencadeamento das reações de estresse pela perspectiva da Teoria da Síndrome Geral da Adaptação, proposta por Hans Selye, com foco na qualidade dos agentes estressores e nas reatividades destes, junto ao organismo, no que se refere aos efeitos estressores e efeitos específicos que denotam distinções nas respostas estressoras, dependendo da ocupação dos sujeitos nas suas respectivas organizações de trabalho. Trata-se de uma pesquisa de natureza qualitativa, construída pela exploração de estudos de casos obtidos de uma revisão da literatura sistemática, organizada em quatro fases que delimitaram os critérios de inclusão e exclusão: planejamento, compreensão, análise e discussão. Os dados foram organizados de forma que se obtiveram dois quadros, que relacionaram os instrumentos de avaliação validados, utilizados nos estudos de casos inclusos, com os principais resultados estatisticamente significativos (Quadro 1), e com apresentação dos agentes estressores potenciais, efeitos estressores e efeitos específicos para cada ocupação organizacional (Quadro 2). Considerou-se que o estresse é um fenômeno de alta complexidade, sobretudo no contexto das relações do trabalho, demandando interdisciplinaridade interpretativa e de contínua análise e reanálise enquanto objeto de estudo da Psicologia.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Seção
Artigos