RELAÇÃO TIPO DE PARTO, AMAMENTAÇÃO E INTRODUÇÃO ALIMENTAR DO BEBÊ EM JACUTINGA – MG E ESPÍRITO SANTO DO PINHAL - SP

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Luana Marta de Souza Ramos
Érica Ferraz
Daniela Peixoto Ferro do Prado
Gleidson Juliacci Patto
Thaís Louise Soares

Resumo

O vínculo mãe e bebê trata-se de alicerce para o desenvolvimento infantil, e é através desse contato que proporciona para criança um laço afetivo e a amamentação é uma estratégia natural para o vínculo. O objetivo deste trabalho foi identificar a prevalência do tipo de parto, relacionando o tempo de amamentação materna e introdução alimentar dos bebês em mulheres moradoras de Jacutinga – MG e Espírito Santo do Pinhal – SP. A pesquisa tratou de um estudo descritivo com pesquisa de campo, no qual foi aplicado questionário em 100 mulheres de 18 a 40 anos de idade que já tiveram filhos e que concordaram em participar voluntariamente do estudo, após assinatura do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido e analisada as variáveis na cidade de Jacutinga – MG e Espírito Santo do Pinhal – SP, no qual foi assegurado às colaboradoras o anonimato de sua identidade. Houve um total de 146 gestações, sendo 113 (77,4%) cesáreas e apenas 19 (13%) partos normais entre as mulheres entrevistadas. Referente ao aleitamento materno, 111 casos de mulheres que realizou cesárea conseguiram amamentar seus filhos e 16 casos refere-se ao parto normal. Observou-se que 76 crianças receberam aleitamento materno com duração inferior aos seis meses ou não foram amamentadas. Concluiu-se que os partos cesáreas foi superior ao recomendado pela Organização Mundial da Saúde. A introdução alimentar começou antes dos 6 meses de vida do bebê mesmo em partos realizados pelo Sistema Único de Saúde.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Seção
Artigos