PERFIL DOS TRABALHADORES PORTADORES DE DOENÇAS OSTEOMUSCULARES E O ABSENTEÍSMO: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Cristiano Machado Galhardi
Viviane Aparecida Sotto Bazalia Capeli
Albano de Freitas Dias Júnior
Luciano Resende Ferreira
Renata Cristiane Gennari Bianchi

Resumo

Introdução: Os distúrbios musculoesqueléticos (DME) afetam os trabalhadores e constituem um grande problema de saúde pública e na área da Saúde do Trabalhador. O absenteísmo decorrente dessas alterações é considerado como o pior desfecho, uma vez que sua ausência implica na alteração negativa na rotina do serviço levando à diminuição da produção em quantidade e qualidade. Objetivo: Verificar a prevalência dos trabalhadores portadores de doenças osteomusculares e sua relação com o absenteísmo através de revisão sistemática. Metodologia: Foi realizada revisão sistemática conforme metodologia PRISMA, empregados os descritores: Osteomuscular Diseases and Absenteeism, nas bases BVS, Scielo e PubMed. Resultados e Discussão: Após pesquisa nas bases de dados e extração das informações, as maiores prevalências encontradas foram: entre as mulheres (78%), com idade média de 58 anos (55%), com fundamental completo (36%) e as DME responsáveis por 87% do absenteísmo, associadas a piora na qualidade do trabalho e de vida. Conclusão: É fundamental a elaboração de medidas preventivas multiprofissionais para os trabalhadores, bem como treinamento visando aprender e identificar sinais de alerta que possam levar a prejuízo em suas atividades.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Seção
Artigos