A PESSOA IDOSA E HIV/AIDS: DESCOBERTA, PERCEPÇÕES E ENFRENTAMENTO

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Marcos Aurélio Alves
Alexandra Fernandes Azevedo Venturi
Joaquim M. F. Antunes Neto

Resumo

O objetivo do presente estudo é compreender a percepção de idosos ao receber o diagnóstico positivo para o HIV, bem como verificar seus modos de enfrentamento desta condição que, para muitos ainda é vista como um estigma e coberta de preconceitos. Trata-se de uma pesquisa de revisão bibliográfica sistemática, realizada em bases de dados eletrônicas disponibilizadas na internet, entre os anos de 2010 a 2019. Ao todo foram obtidos 2.392 artigos e, pelos processos de inclusão/exclusão, chegou-se à análise de 15 artigos. Observou-se nos trabalhos que a percepção do idoso frente à descoberta do vírus é modificada a partir da visão de mundo que o mesmo possui. Alguns apresentam o medo da morte; medo de que alguém descubra a sorologia positiva; o descontentamento com o (a) companheiro (a); e/ou a extinção da relação sexual. Outros acreditam que a partir do diagnóstico podem cuidar mais de si e aproveitar melhor a vida. Além disto, percebeu-se que o baixo nível de escolaridade e as campanhas de HIV/AIDS realizadas apenas para a população jovem pode ter contribuído para o aumento do número de idosos com HIV. Visto isso, considerou-se que a sexualidade no idoso não é percebida como parte integrante desta fase da vida. Neste sentido, faz-se necessário repensar o papel do idoso dentro de políticas públicas que englobem a sexualidade idosa, não como um tabu, e sim, natural à terceira idade.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Seção
Artigos