IDENTIDADE DE UM POVO PELA LINGUAGEM

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Maria Suzett Biembengut Santade

Resumo

O texto objetiva-se na identidade de um povo pelo caminho da linguagem. Justifica-se este trabalho na importância da história da cidade de Mogi Guaçu para compreender sua identidade linguística formada em mais de quatro séculos. Nas bases metodológicas, (i) na primeira parte, buscam-se os trilhos do crescimento urbano pelos antecedentes históricos de formação da cidade; (ii) na segunda parte, buscam-se as trilhas que enfocam a evolução da linguagem no aspecto do português caipira da região. O texto ancora-se em Mattoso Câmara e Ataliba de Castilho para compreender alguns aspectos da linguagem caipira que emergem no dia a dia da comunidade guaçuana. Ao estudar a história da cidade, onde a pesquisa fora feita, observou-se que a linguagem permeia os caminhos juntamente com as trilhas dos desbravadores da história da região, como os índios, os bandeirantes, os tropeiros, os escravos, os imigrantes italianos e, mais recentemente, a migração de muitos nordestinos e paranaenses que passaram, chegaram e ficaram na região guaçuana ora em busca de paragem ora em busca de emprego ora em busca de refugo e de refúgio. Isso tudo criou e cria “um caldo linguístico” bastante vivo nas conversações da região.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Seção
Artigos