ESTIMATIVA DE PRODUÇÃO DE ÁGUAS CINZAS NO CAMPUS DA FACULDADE MUNICIPAL PROF. FRANCO MONTORO, MOGI GUAÇU/SP

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Felipe Santana Bruschiliari
Ricardo da Silva Manca

Resumo

O consumo de água nas edificações aumenta consideravelmente, conforme maior acesso da população aos bens de consumo e setores educacionais. O Brasil tem enfrentado períodos de escassez hídrica, relacionados à quantidade e qualidade, ocasionando desequilíbrio entre oferta e demanda de água. No sentido de diminuir a pressão sobre o uso das águas de melhor qualidade, destinadas a fins nobres, diversas técnicas podem ser utilizadas buscando o uso de águas servidas, com destaque para o reuso de águas cinzas nas edificações. O presente trabalho apresenta uma estimativa de produção de águas cinzas no Campus da Faculdade Municipal Professor Franco Montoro - FMPFM, Mogi Guaçu/SP. A metodologia utilizada contou com o diagnóstico do número de salas de aulas, possibilitando contabilizar o número de discentes e funcionários no campus, e o levantamento do número de banheiros por blocos, identificando as fontes produtoras de águas cinzas, como os lavatórios, os chuveiros e tanques de lavagem de roupas. A produção de águas cinzas pôde ser realizada por duas metodologias distintas, e neste trabalho, comparativamente verificaram-se valores discordantes entre os dois métodos utilizados. Esse fato pode estar atrelado à padronização por unidade familiar proposta pela primeira metodologia. Quando o valor estimado se baseou exclusivamente na relação usos e usuários, considerou-se o valor de forma coerente. A quantidade de água cinza produzida no campus poderia suprir diversas finalidades de usos não potáveis como lavagens de pátios e descargas nas bacias sanitárias.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Seção
Artigos